COMO A MESADA AJUDA NA EDUCAÇÃO FINANCEIRA DOS ADOLESCENTES (PARTE 1)

Quando se trata de mesada, pais e mães costumam se deparar com uma série de dúvidas. Vale a pena estipular um valor semanal ou mensal para dar aos filhos? Como calcular esse valor? Quais critérios devem ser considerados? 

Para encontrar essas respostas, nós selecionamos dicas dos maiores especialistas em educação financeira do Brasil. Confira!

  • Mesada: sim ou não?

A mesada pode ser um bom pretexto para falar com seus filhos sobre dinheiro e escolhas financeiras

Segundo o Gustavo Cerbasi, dar mesada é oferecer aos seus filhos uma oportunidade de cuidar de uma parte do orçamento familiar. Ele recomenda que pais e mães conversem com os filhos sobre o porquê da mesada e como eles devem utilizá-la. Assim, estarão contribuindo para que eles se tornem adultos com controle financeiro.

  • Valor da mesada

O site Como Investir sugere que cada família converse e decida quais itens devem ser pagos com o dinheiro da mesada, como por exemplo lanches na escola, cinema, transporte, roupas, etc. 

Elaborando juntos um pequeno orçamento, fica mais fácil definir o valor a ser dado semanal ou mensalmente. Mas não esqueça: o papel do pai e da mãe é dar o exemplo quando se trata de controle financeiro. Por isso, o valor da mesada tem que ser compatível com o nível de renda e o perfil de consumo de cada família.

Mas atenção: o Álvaro Modernell aconselha a não dar um valor muito alto de mesada, mesmo que a família tenha essa possibilidade. Isso porque a escassez ensina mais que a fartura!

  • Sempre no dia certo

A Ana Leoni recomenda que o pai ou a mãe estabeleçam um dia certo na semana ou no mês para pagar a mesada

Fazendo isso, e combinando direitinho quais despesas devem ser pagas com o dinheiro dado aos filhos, cabe aos pais e mães deixá-los decidir o que fazer até a data do próximo pagamento. Isso estimula a autonomia, tão importante na hora de fazer boas escolhas financeiras.

A Ana também dá uma dica muito importante: tanto os pais quanto os filhos devem cumprir as regras da mesada! Se o dinheiro acabar antes, isso deve ser usado como uma oportunidade para conversar sobre a importância de controlar os gastos em função do tempo. 

Apps de finanças pessoais como Guia de Bolso e o Mobills concordam que não basta dar a mesada. É importante conversar com os filhos sobre o que devem fazer com o dinheiro (em que gastar, quanto e como guardar), além de alertá-los para não gastar tudo de uma vez, pois o valor só será dado novamente na próxima data da mesada. 

Está gostando das dicas? Veja mais sugestões dos especialistas na parte 2 deste post. [link para post parte 2]

E para começar já a educação financeira de seus filhos na prática, baixe o app Blu By BS2 e saiba como podemos ajudar nessa tarefa tão importante! 

[links para lojas Android e iOs]

Tem uma sugestão de conteúdo? Mande pra gente!

Ao fornecer os seus dados, você está de acordo com os Termos de uso e política de privacidade e segurança do Banco BS2.

Posts Relacionados

Compartilhe nas redes

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email